>That technology does not blind us…

>

terei toda aparência de quem falhou e só eu saberei se foi a falha necessária.’  Clarice Lispector

Eu podia falar de amor, mas esse assunto é tão presente nos meus textos que me enjoou.
Talvez falar de músicas que poucos conhecem, filmes franceses ou peças de teatro.
Até cair no comum, comentando algo sobre o bbb, o terremoto e acrescentar que somos malvados com o planeta e que merecemos tudo o que ele nos está devolvendo em forma de tsunamis, etc..

Porém, não assisto BBB, já tem gente demais falando do terremoto e todo mundo já sabe o quanto somos ‘malvados’ com o planeta.

Então espero que gostem do meu texto-desabafo.
Vivemos em um mundo onde lidar bem com a situação é pensar no lucro financeiro, mascarar os problemas, as notícias e deixá-las belas, ou menos feias.
Esta sociedade que se horrorisa com os homossexuais – por mais que hoje seja moderno aceitá-los e as vezes até fazer parte deste ‘grupo’ por algum tempo, só por curiosidade. – é a mesma que permite honrrosamente casamentos de fachada, onde os pais vivem uma mentira e criam seus filhos cercados do ‘bom e do melhor’ (leia: cheio de videogames, escolas particulares, muitos cursos extracurriculares e fast-foods) com atenção e carinho zero, porque o importante aqui é manter as crianças ocupadas, assim não perturbam em casa e tem menos tempo para reparar o que realmente está acontecendo.
Esse tipo de casamento é o que torna socialmente permitido, uma traiçãozinha aqui e outra alí, afinal ‘eles não estão bem a algum tempo’.
E são esses pais que formam adolescentes que logo serão os adultos que movimentam o sistema sem noção de realidade, sem o mínimo senso crítico, sem saber diferenciar o que é moral e o que é certo. Ops, acho que acabei caindo no clichê: SOCIEDADE HIPOCRITA! Sorry! Prosseguindo… Porque acho que pagar 500 reais pra uma faxineira limpar a sujeira da sua casa todos os dias e depois torrar 1000 em uma calça jeans de marca (futilidade mode on) é totalmente errado, porém é a ‘dura’ rotina dos pregadores da moral e dos bons costumes. Legal reclamar da corrupção dos nossos políticos,né? Falar que a saúde no Brasil é uma bosta, a educação nem se fala e o transporte vai de mal a pior. Mas o que estamos fazendo pra mudar isso? Vivemos num mundo carente de jovens com coragem, que saiam as ruas, que reclamem, que usem sua arte pra questionar, que usem toda tecnologia que possuem pra facilitar tudo isso. Sabe o que é? Acho que nossa geração está muito ocupada com a colheita feliz, bbb, twitter, formspring, orkut e falar sobre moda em algum blog, que não sobra tempo pra pensar que idealizar, questionar e reclamar sem agir não vale de nada.
Então como autora deste texto decidi usar seu blog para acrescentar algo a mais nessas cabecinhas.


Nota da autora: Que fique claro que eu tenho orkut, formspring e todas essas baboseiras que distraem nosso dia-a-dia, nem contra quem fala sobre moda, o que começará a fazer em breve, só não podemos aceitar isso como meio de alienação. Não se rendam, continuem pensando por conta própria e agindo! =D
Ps:. Thanks! I love coments ;♥
Anúncios

6 Respostas para “>That technology does not blind us…

  1. >Seu texto é ácido e muito bom :)Vou citar uma frase de um texto (tão ácido quanto o seu) que eu tive que devorar para passar em Epistemiologia e Filosofia da Ciência, na Faculdade. "Não sou pessimista, o mundo que é péssimo!" Paul Virilio.(Inclusive Virilio tem uma opinião bem crítica e fascinante sobre a tecnologia na sociedade, vale a pena dá uma conferida).Não sou os mais santinhos, mas não sou etnocentrico. Embora esteja cansado de ser condenado, pela moral imposta por Deus sabe quem…Se beijar meu namorado, sou crucificado, sou anormal, porque o normal é ir em um puteiro ou fazer sexo com uma menor em troca de cachorro quente.Posso não me enquadra nas normas e morais (que não entendo) mas ME RECUSO A SER MASSA DE MANOBRA."Não tenho vontade de vencere nem tô aqui pra competir.Enquanto a maioria quer entrareu procuro um jeito de sair." Eduardo Marinho"A gente (todos nós, ou o que resta de nós) precisa ser agente de mudança." Evair CanellaAdorei seu texto, ele reflete e frete o que todos um dia deveria refletir…Só acho que não é "sobre" o que falamos, fazemos ou assistimos, que torna alguém de senso comum, mas sim, "o que" falamos, absorvemos, escrevemos ou entendemos sobre o devido assunto.Acredito na sua capacidade (muito talentosa) e sei que se falasse de bbb, amor, políticos ou tsunames, eu não leria senso comum. (E acredite, esses tipos de textos são os mais difíceis).Demais, parabéns pelo texto.

  2. >falou e disse. Por isso por muitas vezes penso q nasci na decada errada. Reclamamos dos politicos, mas quem os bota lá dentro, no poder?!Po isso gosto de jornalismo, liberdade de imprensa. Pegar. Jogar na parede. E exigir explicação a sociedade.Amei o texto, de verdade. Aaaah isso aí garoto. Ficou tdu muito lindo. Paabéns!!!BEIJOOs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s