Mulher nº 2

Ela é assim, doce, meiga, meio moleca.

É uma pequena querendo ser grande.

Se perdendo e se achando.

Alice, tem a vida inteira pela frente.

É ela a que toma banho de chuva. É ela que faz brigadeiro de panela quando tem vontade, é ela que joga video-game e fala besteiras.

Ai Alice, se tu soubesses o bem que me fazes, se soubesses como me lembras que jamais devemos deixar de sorrir. Por pior que tudo esteja.

Ela comete erros aos montes, se mistura com suas certezas e muda as cores da própria vida de acordo com o dia. Alice é mutante, pois não sabe ao certo quem é.

Ela apenas é. Leve.

Alice gosta de incomodar, numa atitude meio infantil, bota lenha na fogueira pra ver o circo pegar fogo e fica escondida atrás de uma árvore rindo da confusão que criou.

Menina, menina! Como me divertes.

Nunca vá embora entendeu? Nunca.

E os olhos de Alice me olham com ar de quem aprontou, ou aprontará em breve.

Simplesmente CONVIDATIVO.

Ela cria sua própria realidade e acaba envolvendo a todos naquilo. E eu, já me vejo completamente envolvido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s