.: No ar, nas nuvens

Eu preciso sem precisar.

Só pra esbanjar energia, pra compartilhar os sentimentos e sentidos.

Não por necessidade.

Preciso dos beijos, dos abraços e carinhos perdidos no caminho entre as duas cidades.

Você foi tirando meu chão, assim de mansinho, com essa cara de menino inofensivo que está apenas a passeio.

Sorrateiro. Quando vi, já estava sem o solo inteiro.

E eu, que achava que já havia experimentado de tudo um pouco, me percebi tendo a real necessidade de voar.

Sem terra, o único que me resta é o céu.

O mar e o fogo já perderam a graça perto da liberdade de sorrir á qualquer hora de um dia qualquer da semana, ou de todos, ao receber pequenas mensagens

Estou desnorteada, estou fora do meu corpo. Não caibo mais em mim, me transbordo.

E aquelas palavras ditas meio na pressa de dormir e partir, ainda ecoam na minha cabeça.

Eu te falo menino, tens uma força e um poder que desconheces.

Que saudade que sinto dessa Brasília onde nunca pisei!

Anúncios

2 Respostas para “.: No ar, nas nuvens

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s